8 de fev de 2011

Ouvir o sofrimento


Ja dizia Dalai Lama "Grande parte do sofrimento somos nos mesmos que causamos".
Cansada de reclamações, e de ver rebeldes sem causas, resolvi escrever sobre o tema, e acredito que ninguém seja feliz infinitamente.Em maior ou menor proporção, sofremos com mágoas, morte física, perdas,tristeza  — há infelicidades na vida. 
E temos que vivenciar o sofrimento e se desapegar deles, e para vivenciar, é necessário contentar-se com ele, não podemos negar-lo, como se ele não existisse.
Algumas pessoas, costumam me dizer que repetidas vezes, na sua vida acontecem a mesma situação na qual lhe causa dor, mas eu costumo analisar muito as situações, na qual sou solicitada a dar meu ombro amigo, e conclui de que realmente essas pessoas vivenciam a dor, mas não foi a fundo estudar o por que dessa dor, logo não a ultrapassou.Até porque o homem moderno tem muitas fugas, alguns bebem, outros se nutrem-se de relações superficiais, que fazem fugir por momentos da dor.Mas como toda ferida mal curada, ela volta a doer novamente.
Primeiro tornar-te consciente da causa da dor, pois sofrimentos existem para todos.
Depois descubra as raízes desta dor.Evite pensamentos e atitudes, que se tornam habituais.

“O pensamento se manifesta como uma palavra na mente,
A palavra se transforma em uma ação,
A ação se transforma num hábito,
E o hábito se cristaliza como temperamento”.

Portanto, fique consciente de seus pensamentos e dos resultados deles. E faça com que brotem na compaixão e no respeito para com todos os seres.
Vou lhe contar um acontecimento que me marcou essa semana.
Conversando com um amigo, comentei que tinha ido fazer um vestido, pois fui convidada a um  casamento, e ai não sei por que o papo desenrolou nesse tema, e eu contei sobre um relacionamento de dois anos e meio que tive, mas foi maravilhoso enquanto durou, mas vida acabou nos separando.
Eu apenas desabafei por alto, e ele me disse : Sempre é assim !
Ou seja, ele pensa que todos os relacionamentos tem inicio, meio e fim.Pois nem sempre é assim, meus pais estão a trinta e poucos anos de casamento e não são uma exceção no mundo. Nessa resposta dele, me vi, olhando indignada para um pensamento que era tanto dele quanto meu.Me vi dentro dos meus medos dos terminos, meus medos de sofrer.
Foi quando obtive a pergunta que eu buscava sobre ele, por que tanto tempo estava solteiro, e a mesma resposta obtive para a minha alma.Por que eu me interessava em saber isso, por que na verdade o que afligia  a ele, era a minha verdadeira dor camuflada.Era meu medo de chegar na idade dele, bem, com uma vida boa e ao mesmo tempo sozinha.Foi aonde eu encontrei todas as respostas, as perguntas que eu me faço a uns meses.Por que eu estou a tantos anos solteira ? Será que eu quero um relacionamento ? Ou será que eu corro de relacionamentos ? Ou será que eu não tenho certeza do que eu quero?

Quando a pergunta certa é : O que eu quero?  e O que você quer meu caro amigo ?
Por isso muito cuidado com seus pensamentos, pense o que realmente queres cultivar.
Da mesma forma que a sombra segue o corpo, nós nos tornaremos aquilo que pensamos.

E no sofrimento de um amigo aprendemos muito, quando nos doamos de coração a ajudar transformar essa dor.Ouvir o sofrimento de um amigo, e doar sabedoria da vida, é ouvir nos mesmos e nos ajuda a nós conhecer mais.

Dedico esse post a meus amigos, que me ensinam constantemente com suas experiências, momentos de alegria, suas dores de amores e perdas. Mono, Sininho, Raposa, Peter , Sid, Guima e meus irmãos.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Capte-me uma mensagem a toa Copyright © 2013 Design by Caminho da Luz