27 de nov de 2010

Singular sem fim


Feito para não caber
Se expõe e salta de dentro  de mim
Sentada assim meia de lado
Olhar sereno
Me escondo no meu quarto
Com vestido de botões
Demoradamente contados
Pulseira de duas fivelas de menina do rock
Minha maquina de escrever cansada de me ver assim
Entre a poesia e o verbo  saudade
Entre a dor e a felicidade
Entre meu piano e meu jardim de rosas
Frases no singular sem fim
Entre eu , e eu e amigos imaginários
Entre papeis e pequenas casinhas
Colas e tintas
Experimentos que levam as exposições
Felicidade meio ao nada
Sentimento, com jeito pousado
Laços tomados, calor dilatado
Dor, infinita nos meus olhos
Te levo em todas as manhã
Em todas as viagens
Feita para não caber, e eu não suporto mais
E eu vivo assim entre a poesia e força,
a luta de chegar ao fim.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Capte-me uma mensagem a toa Copyright © 2013 Design by Caminho da Luz